A PRIMEIRA FASE DA TUA VIDA ACADÉMICA

Ensino Superior. Pânico, diversão, as maiores loucuras da tua vida e sem sombra de dúvida, as aprendizagens mais significativas para o teu futuro.

Vais descobrir o que é a felicidade de um “9,5” depois de 3 (ou mais) anos na mesma cadeira. Vais fazer amigos ou pelo menos teres um conhecido que te vai arranjar casa nas ilhas durante as tuas férias. Vais claramente comer massa com atum rodeado de pessoas completamente aleatórias e no final, vais jogar a qualquer coisa cujo o objetivo seja embebedar-te. Vais conhecer pessoas fantásticas, amigos para uma vida inteira! Mas também te vais desiludir com outros tantos. Não será certamente tudo perfeito.

Com tudo isto acontecer na tua vida, com todas as emoções à flor da pele, vão haver coisas que te vão escapar pelos dedos. Vão haver decisões mal tomadas, coisas que podias ter feito e preferiste outras.

Dou-te duas dicas, que para mim, mais do que o meu curso, me deram maturidade e ensinamentos para a minha vida toda. A Praxe e a Associação de Estudantes.

A Praxe por te dar, se for como a mim, a melhor coisa do mundo: as pessoas. Das melhores pessoas que tenho na minha vida. E não preciso de falar do quão boa ela é, porque quando se quer saber, vai-se conhecer. A praxe é muito mais para além de tudo o que eu podia escrever, mas também só alguns é que a sentem e vão sentir, verdadeiramente. Se fores, vai com alma. Vai sem pensares.

A Associação de Estudantes por ser o sítio onde consegues crescer, ambicionar, ensinar e progredir a nível pessoal e profissional duma forma absolutamente incrível. A Associação de Estudantes vai estar sempre com o pensamento em todos os alunos, vai preocupar-se e fazer coisas por ti. Vai ajudar-te, indicar-te e caminhar contigo nesta que vai ser a tua segunda ou (como para muitos de nós) a tua primeira casa! Ser dirigente associativo é obrigatoriamente seres um idiota. É mesmo. Pensa, comunica e faz. Faz. Faz. E passa o ano a fazer tudo por ti e pelos outros. A criar ideias, a organizar eventos, a ter formações, a marcar reuniões, a lutar pelos teus direitos, a bater o pé a entidades bem maiores do que nó só em prol dos estudantes, etc.


E pensem. Somos uns putos que de repente fazem contratos, que de repente precisam de ter/falar com um advogado, que gerem contas, que escrevem atas e documentos oficiais, que são responsáveis por eventos com mais de 500/1000 pessoas, que crescem sem terem a noção disso. Que deixam a própria vida pessoal de lado para ti. Uns putos que, sem receber qualquer quantia monetária em troca, vivem para ti e mais uns quantos (muitos) estudantes. E sem dúvida, estão mais preparados para o mundo de trabalho do que todos aqueles que olharam para um evento e pensaram “é só por umas minis à venda e colocar uma música e está uma festa feita”. Uns putos que deliram com as grandes conquistas e que pensam, repensam e que ficam fodidos da vida quando algo não corre como planeado.

Somos uns putos que tem os tomates no sítio sempre que é preciso.


Não deixes que o desconhecido te intimide. Faz por querer ser. Ser mais e melhor. O mundo do ensino superior só dura alguns anos da tua vida, não queiras deixar nada por fazer.


Ps: Queria deixar um agradecimento especial aos incríveis “Caloiro Wines” (@caloirowines no instagram) por me terem desafiado a escrever sobre o que é pertencer a uma Associação de Estudantes. Espero que, apesar de não ter esmiuçado muito do que se vive, que tenha deixado um bichinho na cabeça de quem me leu.

Beijo, A.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

×